Vamos fazer uma era de pessoas diferentes  que não vão ser manipuladas que não vão ser fantoche.Vamos fazer uma era de gente que pensa ,que escreve ,que lê, que não troca informações,que troca idéias vamos usar todos os meios de comunicação que a  tecnologia nos proporciona para desconstruirmos e construir sem tendencialismos o mundo das nossas idéias e realidades. Se todos pensarmos assim e mudarmos a nossa cabeça, o mundo não vai precisar de revoluções, de morte, a mudança tem que ser interior de todo mundo. Saber aproveitar, não ter vergonha, aprender debater criar idéias, sem preconceito, vamos nos entender ,nos compreender. Se entendermos que todos passamos por problemas e queremos ser compreendidos vamos aprender compreendermos os outros, tudo vai ficar mais leve, e vamos assim nos tornar diferentes e fazer um mundo diferente de mentes e almas verdadeiramente livres, de todo pré-conceito, todo padrão, que nos impede de conhecermos a verdadeira e sublime felicidade.

vintagegal:

Grease (1978)

vintagegal:

Grease (1978)

(vía hipdeathgodess)

(Fuente: raikov, vía hipdeathgodess)

psychedelic-sixties:

Make Love Not War (1967)

psychedelic-sixties:

Make Love Not War (1967)

(vía hipdeathgodess)

"Fico triste, tento escrever algo que me tire da razão que me tire desse mundo, um mundo chato de gente chata. Eu quero gente que brilhe, que tenha o frescor da liberdade, que mostre o que é, que tenha o espírito dos rockeiros que tenha a sede de mudar o mundo. Sem tanto tato, sem tanto medo, que percam aquele maldito ar de não me importo… Não é feio se importar, quem diabos ensinou isso a vocês? Cadê o sentimento, o aperto, o amasso, o sexo com vontade, o orgasmo da vida. Que vida regrada de merda ,que eu tenho que fingir que não sinto, fingir que não me importo. Eu me importo eu sinto eu sou! Com toda vontade que consigo, se importe em ser pra depois se importar em ter.Eu quero brilhar na multidão sem precisar de ninguém, eu quero me perder e ser diferente, me perder na vida. Eu vou me mostrar até o fim."

(Fuente: cwissi, vía hipdeathgodess)

"Cadê aquela luz gigante, aquela força que me fazia chorar, que me fazia viver, que me fazia morrer. Era gigante, era o amor, o amor mais lindo e inocente que conheci, eu te amava como se existisse só o hoje e o amanha fosse um emaranhado de você.Eu te amava tanto e nunca te disse isso. Mais o amor era tão grande, tão lindo, tão puro, que eu ficava pequena e feia perto dele, eu não me encontrava, ele tomava conta de mim, ele tirava meu rumo, era loucura! A mais linda das loucuras, queria ser louca assim pra sempre. Eu cheguei no ápice do meu prazer, meu corpo nunca tinha conhecido nada melhor, eu sai do meu casulo e me encontrei com o amor, não só encontrei eu me joguei, eu mergulhei com tudo tirei minhas roupas e mergulhei, fechei o olhos e fui. Mais meu amor era demais você não conseguiria me amar assim, você desapareceria! Extremistas amam com vontade, e eu amei com todas que eu tinha. Não sou mais tão inocente. O amor acabou. Foi uma doença, e estou curada, sem seqüela. Contigo se foi a minha inocência a minha pureza, que talvez eu nunca mais a mostre tão intensamente pra ninguém. Contigo se foi o meu primeiro e mais lindo amor."